No último jogo da discórdia que aconteceu no BBB21, os participantes deveriam colocar no quadro quem eram os protagonistas, coadjuvantes e figurantes. Carla Diaz se colocou como protagonista, ao lado de Arthur e Gilberto, e posicionou sua melhor amiga no jogo, Camilla de Lucas, como coadjuvantes. A atriz acrescentou dizendo que ela era a sua “amiga sensitiva”. Tal ação fez com que pessoas negras sem incomodassem sobre um estereótipo muito comum no cinema: o da amiga da protagonista. 

Você com certeza já deve ter visto algum filme ou série em que a protagonista branca tem a sua melhor amiga negra. É comum e passa despercebido mesmo. Ela sempre é uma amiga maravilhosa, parceira, e que dá os melhores conselhos. Lembrou de alguém? 

Mas o que acarreta nesses padrões de representação, é que a menina negra não possui o seu enredo desenvolvido. Não conhecemos sua história, suas motivações, sua própria vida, pois a sua função na trama é servir de suporte para a heroína branca se desenvolver. Dessa forma, as melhores amigas negras são reduzidas a esse arquétipo raso que ignoram toda a sua subjetividade.  

As personagens que se “encaixam nesse papel” são várias. Em As Patricinhas de Beverly Hills, vemos a Dionne Davenport (Stacey Dash) melhor amiga da Cher Horowitz (Alicia Silverstone). Dionne sempre dá os melhores conselhos para a loira e a faz abrir seus olhos. Já em High School Musical temos a Taylor McKessie (Monique Coleman), best da Gabriella Montez (Vanessa Hudgens). Taylor é superinteligente, centrada e conselheira de Gabriella. 

“Mas o que acarreta nesses padrões de representação, é que a menina negra não possui o seu enredo desenvolvido.”Reprodução/Reprodução/Globo

Rosalind Walker (Jaz Sinclair), de O Mundo Sombrio de Sabrina, também é um exemplo. A jovem é a melhor amiga leal, cuidadosa e inteligente de Sabrina Spellman (Kiernan Shipka). Por falar em bruxaria, tem também a nossa bruxinha de The Vampire Diaries, Bonnie Bennet (Kat Graham), que foi a melhor amiga negra da protagonista Elena Gilbert (Nina Dobrev). Apesar de Bonnie ter tido sua história desenvolvida e até chegado a ser uma personagem central na trama, no início da série ela era um suporte e tanto para Elena. 

Não precisamos ir muito longe. Em A Força do Querer, novela da Globo que acabou de ser reprisada, temos a amizade de Marilda (Dandara Mariana) e a protagonista Ritinha (Isis Valverde). Marilda é aquela que houve todos os problemas da amiga, como se não tivesse nenhum em sua vida, e dá os toques para ela não fazer nenhuma besteira. 

Aos poucos, essa realidade está mudando, mulheres negras estão interpretando papéis principais e tendo seus enredos aprofundados, mas ainda é muito comum termos ela como coadjuvante, principalmente em filmes adolescentes. Vale destacar que essas histórias não são só na ficção. Como demos o exemplo da Camilla e Carla, elas refletem também no cotidiano e nas relações das mulheres pretas. 

E aí, você conseguiu identificar esse estereótipo em algum outro filme ou série? 

Continua após a publicidade