Também foram enviados novos avisos para Canoas, Guaíba, Lajeado, Novo Hamburgo e Porto Alegre

Com o percentual de 10,2%, Bagé apresenta a menor proporção da população vacinada com a segunda dose entre as 21 regiões Covid-19

Em reunião realizada nesta quarta-feira (9), o gabinete de crise acatou a recomendação do grupo de trabalho de saúde e emitiu um novo alerta para Bagé. Além disso, decidiu manter o alerta de 13 regiões. Por fim, o grupo também emitiu um aviso às regiões de Canoas, Guaíba, Lajeado, Novo Hamburgo e Porto Alegre. A região de Bagé terá 48 horas, após a notificação, para apresentar um plano de ação. A partir do envio, as medidas podem ser adotadas imediatamente, sem necessidade de esperar um aval. As equipes do governo farão uma avaliação do plano remetido e, caso necessário, entrarão em contato com a região para sugerir novas ações.

Bagé apresentou incidência de 414,7 casos confirmados por 100 mil habitantes na última semana, um aumento de 32,8% frente à semana anterior. É a quarta maior entre as 21 regiões Covid-19 na última semana e 48,8% superior à média estadual. Apesar da queda na última semana, a taxa de mortalidade recente de Bagé ainda é a sexta maior do estado na última semana e 41,1% superior à média estadual.

Ao longo da última semana, o número de internados em leitos clínicos cresceu 15,1%. Assim, a região tem 61 internados por Covid-19 nesse tipo de leito. Nos leitos de UTI, são 18 internados por Covid-19. A taxa de ocupação da região é de 80%, com apenas sete leitos livres. Com o percentual de 10,2%, Bagé apresenta a menor proporção da população vacinada com a segunda dose entre as 21 regiões Covid-19.

Porto Alegre apresentou incidência de 282 casos confirmados por 100 mil habitantes na última semana, um aumento de 329,4% frente à anterior. Embora o aumento aparentemente não tenha apresentado repercussão sobre os demais indicadores da região, é necessário atentar para os motivos que ocasionaram o salto nas notificações.

Agravamento
Além do novo alerta para Bagé, o Gabinete de Crise decidiu manter os já enviados às regiões de Cachoeira do Sul, Caxias do Sul, Cruz Alta, Erechim, Ijuí, Palmeira das Missões, Passo Fundo, Pelotas, Santa Cruz do Sul, Santa Maria, Santa Rosa, Santo Ângelo e Uruguaiana. As 13 regiões mantidas em alerta também receberam novos relatórios, em função do agravamento da situação nos respectivos municípios. Todos os documentos estarão disponíveis no site do Sistema 3As e detalham os indicadores das regiões e macrorregiões que tiveram piora. Veja os boletins regionais de todas as regiões no site do Sistema 3As de monitoramento.

Desta vez, as regiões de Capão da Canoa e de Taquara, que já haviam recebido avisos dentro do Sistema 3As de Monitoramento, não foram notificadas. Os dados de casos, óbitos e internações, entre outros, são monitorados diariamente pelas equipes técnicas do governo. Por isso, com base nesse acompanhamento, na última semana, as duas regiões apresentaram melhora do cenário. A partir de relatos do GT Saúde e do GT Protocolos, o governo estadual convocará, nos próximos dias, reuniões com os prefeitos das regiões Covid de Cachoeira do Sul, Ijuí, Passo Fundo e Santa Rosa para reforçar a necessidade de medidas adicionais diante da situação crítica da Covid-19 nesses locais, uma vez que as ações adotadas até o momento não foram suficientes para frear a circulação do vírus, havendo inclusive agravamento em algumas regiões.