A bandeira indicativa do nível de alerta passa de amarela para laranja

Decreto recomenda a suspensão da circulação de pessoas e de reuniões no período das 23 horas às 5 horas

Em decorrência do novo cenário da pandemia em Curitiba, a prefeitura está reforçando medidas de controle da Covid-19 por meio de um novo decreto, ampliação da fiscalização e reorganização da rede de saúde com ampliação de novos leitos. A bandeira indicativa do nível de alerta passa de amarela para laranja (risco médio).A medidas estabelecidas valem a partir desta sexta-feira (27), e têm duração de sete dias, podendo ser modificadas antes deste período em caso de necessidade.

O novo decreto suspende algumas atividades, impõe restrições de horários ou limita a capacidade para outras. Além disso, o documento recomenda que os estabelecimentos devem adequar o expediente dos seus trabalhadores aos horários de funcionamento definidos pela administração municipal e priorizar a substituição do regime de trabalho presencial para o teletrabalho, trabalho remoto ou outro tipo de trabalho à distância, quando possível. Também está recomendada a suspensão da circulação de pessoas e de reuniões no período das 23 horas às 5 horas para reduzir a contaminação e a propagação do novo coronavírus, resultante das aglomerações que vem ocorrendo neste período, principalmente por jovens.

Desde que a pandemia do novo coronavírus voltou a ganhar força estão sendo tomadas medidas para conter o avanço e oferecer atendimento à população. De sexta-feira (20) até essa quinta (26) foram abertos na capital paranaense 126 leitos SUS exclusivos para Covid, sendo 51 de UTI e 75 de enfermaria.

As medidas tomadas nesta sexta têm o objetivo de barrar a evolução do coronavírus na cidade, haja vista o crescimento exponencial de casos da doença nas últimas semanas – com a consequente pressão sobre o sistema de saúde, que precisa ter assegurada sua capacidade de atendimento. A taxa de ocupação das UTIs SUS para Covid-19 estava em 94% na quinta-feira (26). Já a taxa de transmissão está em 1,28 – o que significa que cada grupo de 100 pessoas infectadas transmite a doença para outras 128. Para evitar a evolução da doença esse índice precisa ficar abaixo de 1.